2018 TRAZ BENEFÍCIOS FISCAIS PARA QUEM QUER REABILITAR A SUA CASA

2018 Traz benefícios fiscais para quem quer Reabilitar a sua Casa

Adiantamos já que, para os mais desatentos, este post é um rebuçadinho virtual!

 

Quem o diz é o Orçamento de Estado de 2018 que, introduziu várias alterações no que refere aos incentivos à reabilitação urbana, nomeadamente:

 

  • IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) – Lembra-se da isenção deste imposto por três anos para quem reabilitava imoveis e os afetava à habitação permanente (arrendamento ou habitação própria)? Pois bem, o estado decidiu estendê-lo para 8 anos! Para além disto, os prédios urbanos ou frações autónomas, localizados fora de áreas de reabilitação urbana, desde que tenham sido concluídos há mais de 30 anos, também passam a estar abrangidos por este beneficio fiscal.

 

  • IMT (Imposto Municipal sobre a Transmissão Onerosa de Imóveis) –  Este benefício fiscal foi alargado à aquisição de imóveis destinados a obras de reabilitação, desde que o proprietário inicie as obras no prazo máximo de três anos após a compra; e à primeira transmissão de imóveis que tenham sido alvo de uma intervenção de reabilitação urbana, e que se destinem ao arrendamento para habitação permanente; ou então, que estejam localizados em área de reabilitação urbana e se destinem à habitação própria e permanente.

 

  • IRS (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares) –  Os proprietários vão poder deduzir 30% dos encargos com a intervenção, até ao limite máximo de 500 euros.

 

E então? Agora que sabe isto, do que está à espera para nos contactar como parceiros nesta aventura? Vá 😊